• De ônibus na Copa

    em 08/jul/2014 em Crônicas por Dennys Távora | Sem comentários »
    De ônibus na Copa

        por Dennys Távora   Se um jogo do Brasil na Copa do Mundo cai em um dia normal de trabalho, repete-se um ritual bem conhecido dos brasileiros: liberação antecipada do trabalho e do estudo a fim de possibilitar que todos possam voltar as suas casas ou se reunir com os amigos para torcer pelo Brasil. Já se tornou uma tradição! Brasileiro é folgado? De modo algum! Somos um povo muito trabalhador. Apenas amamos a Copa do... Ler mais

  • Como é bom festejar a Copa!

    em 27/jun/2014 em Crônicas por Dennys Távora | Sem comentários »
    Como é bom festejar a Copa!

        por Dennys Távora   Copa de 70, dia da final entre o Brasil e a Itália, dois bicampeões mundiais. Quem vencesse pela terceira vez tomaria posse definitiva da taça Jules Rimet. A expectativa e a confiança da torcida brasileira eram enormes. Apesar do país se encontrar sob uma ditadura militar, o clima era de festa. Até quem se opunha ao regime e receava o uso político de uma vitória do escrete canarinho, àquela... Ler mais

  • É gol de Jairzinho!

    em 09/jun/2014 em Crônicas por Dennys Távora | Sem comentários »
    É gol de Jairzinho!

        por Dennys Távora   Na infância, cada celebração de mais um ano de vida tem tudo para se tornar um momento especial. No meu caso, porém, a timidez me levava a não desejar muito essas celebrações. Um singelo presente já era suficiente para não deixar a data passar em branco. Por tal razão, apesar de carregar inúmeras recordações dos tempos de criança, guardo poucas lembranças dos meus primeiros aniversários.... Ler mais

  • O meu pai me trouxe uma copa do mundo

    em 01/jun/2014 em Crônicas por Dennys Távora | Sem comentários »
    O meu pai me trouxe uma copa do mundo

        por Dennys Távora   – Pai, o senhor me traz uma copa do mundo? – Esta era a pergunta que fazia diversas vezes ao meu pai quando ele saía para trabalhar. Para evitar entendimentos equivocados, esclareço, desde logo, que o meu pai jamais foi um craque da seleção brasileira de futebol. Na verdade, sequer um bom peladeiro ele era. Porém, o que verdadeiramente importa é que ele compreendia perfeitamente as... Ler mais

  • Contigo

    em 02/out/2013 em Poesia por Dennys Távora | 4 comentários »
    Contigo

    CONTIGO        O que sinto com tanta intensidade Nem o tempo será capaz de apagar, Reforçou o laço da nossa amizade, Fez o meu carinho por ti aumentar. Estar longe não era minha vontade, Mas no amor não vou desacreditar, Sempre com inabalável fidelidade Continuarei ao teu lado a te apoiar. Quero te ver bem e feliz de verdade, Conseguindo o teu sonho realizar, Sei que ao perceber a tua felicidade A minha também poderei... Ler mais

  • O mais belo olhar

    em 29/ago/2013 em Crônicas por Dennys Távora | 4 comentários »
    O mais belo olhar

      por Dennys Távora   Ela é adoravelmente vesga. Quando a conheci, acreditava ter sido atraído pelo brilho dos seus belos olhos verdes, mas não! Apaixonei-me pela sua vesguice. Demorei um pouco para me dar conta disso, pois ela sabia disfarçá-la com arte. Não deixava de me olhar nos olhos, mas não o fazia de forma estática, direta e intimidadora, que ao perdurar pode incomodar ou provocar um pouco de tédio. Não! O seu rosto... Ler mais

  • O teu cabelo

    em 29/jul/2013 em Poesia por Dennys Távora | Sem comentários »
    O teu cabelo

    O TEU CABELO       Longo, liso, como sedosa moldura, As tuas curvas está a acompanhar, Valoriza a tua sinuosa escultura, Compondo um conjunto singular. De forma natural se faz a sedução Ao dar em mim o desejo de o tocar, Quero tê-lo entre os dedos da mão, Para de um jeito suave o acariciar. Do alto até embaixo o carinho faço, Sinto um perfume bem sutil exalar, Envolve-me como em um abraço, Leva-me ao delírio e me faz... Ler mais

  • Os nossos elos

    em 06/jun/2013 em Poesia por Dennys Távora | Sem comentários »
    Os nossos elos

    OS NOSSOS ELOS          O teu encanto aparece e me invade, Muda a minha vida e o meu olhar, Natural é te dar a minha fidelidade, No que precisares de mim te ajudar. Para suportar a inevitável saudade, Tento mais junto de ti me encontrar, Não desistir ao ver uma tempestade E me apresentar pronto a te apoiar. A união supera qualquer dificuldade, Uma corrente, então, vamos formar, Nossos elos feitos de amor e amizade, O tempo e a... Ler mais

  • O amor se fez razão

    em 22/mai/2013 em Poesia por Dennys Távora | Sem comentários »
    O amor se fez razão

    O AMOR SE FEZ RAZÃO        Um sentimento bem profundo Aprimorou a minha percepção, Veio e mudou o meu mundo, Tomou conta do meu coração. Do que sinto não me confundo, Sei de onde vem esta sensação, Lá do fundo da alma é oriundo, Onde nasce a minha inspiração. Já não passa mais um segundo Sem que cresça esta emoção, Este amor tão grande e fecundo É da minha existência a razão.   Dennys Távora   Related... Ler mais

  • A força da fé

    em 31/mar/2013 em Poesia por Dennys Távora | Sem comentários »
    A força da fé

    A FORÇA DA FÉ        A imensa dor que persiste E insiste em te incomodar, Ao amor e à fé não resiste, Por isso, haverá de acabar. Não necessitas ficar triste, Nunca deixes de acreditar, Nosso Deus Pai te assiste E jamais irá te abandonar. Se no peito a crença existe, Acha-se força para lutar, Apenas para quem desiste A alegria não há de chegar.   Dennys Távora   Related... Ler mais

De ônibus na Copa

em 08/jul/2014 em Crônicas por Dennys Távora | Sem comentários »
De ônibus na Copa     por Dennys Távora   Se um jogo do Brasil na Copa do Mundo cai em um dia normal de trabalho, repete-se um ritual bem conhecido dos brasileiros: liberação antecipada do trabalho e do estudo a fim de possibilitar que todos possam voltar as suas casas ou se reunir com os amigos para torcer pelo Brasil. Já se tornou uma tradição! Brasileiro é folgado? De modo algum! Somos um povo muito trabalhador. Apenas amamos a Copa do Mundo e seria impossível para quase todos nós nos concentrarmos no trabalho ou no estudo enquanto acontece um jogo da seleção brasileira na maior e mais midiática competição esportiva do planeta. O problema é que o encerramento antecipado do expediente não resolve tudo. Será necessário ainda enfrentar o transporte público lotado ou o... Ler mais

Como é bom festejar a Copa!

em 27/jun/2014 em Crônicas por Dennys Távora | Sem comentários »
Como é bom festejar a Copa!     por Dennys Távora   Copa de 70, dia da final entre o Brasil e a Itália, dois bicampeões mundiais. Quem vencesse pela terceira vez tomaria posse definitiva da taça Jules Rimet. A expectativa e a confiança da torcida brasileira eram enormes. Apesar do país se encontrar sob uma ditadura militar, o clima era de festa. Até quem se opunha ao regime e receava o uso político de uma vitória do escrete canarinho, àquela altura já se rendia à paixão futebolística, à identificação com o nosso jeito alegre de jogar e ao talento dos nossos craques. Para um brasileiro, a despeito da tirania reinante no país, era inevitável torcer pela sua seleção. Efetivamente, teria sido um grande erro desperdiçar aquele momento, pois politizar a Copa é uma grande bobagem. Eu... Ler mais

É gol de Jairzinho!

em 09/jun/2014 em Crônicas por Dennys Távora | Sem comentários »
É gol de Jairzinho!     por Dennys Távora   Na infância, cada celebração de mais um ano de vida tem tudo para se tornar um momento especial. No meu caso, porém, a timidez me levava a não desejar muito essas celebrações. Um singelo presente já era suficiente para não deixar a data passar em branco. Por tal razão, apesar de carregar inúmeras recordações dos tempos de criança, guardo poucas lembranças dos meus primeiros aniversários. Um deles, contudo, tornou-se inesquecível. Foi em 1970, quando completei sete anos de vida em plena Copa do Mundo. Naquela época, morava numa pequena vila do bairro da Liberdade, na região central de São Paulo. Era formada por uma estreita rua fechada e de uso exclusivo dos moradores do local, com pequenas casas geminadas de um lado e um muro... Ler mais

O meu pai me trouxe uma copa do mundo

em 01/jun/2014 em Crônicas por Dennys Távora | Sem comentários »
O meu pai me trouxe uma copa do mundo     por Dennys Távora   – Pai, o senhor me traz uma copa do mundo? – Esta era a pergunta que fazia diversas vezes ao meu pai quando ele saía para trabalhar. Para evitar entendimentos equivocados, esclareço, desde logo, que o meu pai jamais foi um craque da seleção brasileira de futebol. Na verdade, sequer um bom peladeiro ele era. Porém, o que verdadeiramente importa é que ele compreendia perfeitamente as invencionices do meu vocabulário infantil e, antes do regresso ao lar, passava na padaria para me trazer uma guloseima que eu degustava com grande prazer: um singelo e saboroso pão de leite. Estávamos em 1966, às vésperas da Copa do Mundo da Inglaterra. Eu tinha apenas três anos de idade e o Brasil já ostentava o título de bicampeão mundial de... Ler mais

O mais belo olhar

em 29/ago/2013 em Crônicas por Dennys Távora | 4 comentários »
O mais belo olhar   por Dennys Távora   Ela é adoravelmente vesga. Quando a conheci, acreditava ter sido atraído pelo brilho dos seus belos olhos verdes, mas não! Apaixonei-me pela sua vesguice. Demorei um pouco para me dar conta disso, pois ela sabia disfarçá-la com arte. Não deixava de me olhar nos olhos, mas não o fazia de forma estática, direta e intimidadora, que ao perdurar pode incomodar ou provocar um pouco de tédio. Não! O seu rosto estava sempre em movimento, levemente inclinado e virado para o lado, expondo-me mais a sua face esquerda. Era um truque para realinhar os olhos. Sem perceber, eu repetia os seus movimentos no afã de acompanhar e ler o seu olhar. Era um bailado sedutor que me hipnotizava. Um dia, ao jantarmos juntos, percebi uma diferença. No ápice de algo que... Ler mais

Datas vencidas

em 28/fev/2013 em Crônicas por Dennys Távora | Sem comentários »
Datas vencidas   por Dennys Távora   Geladeira lotada. Guardei pouco mais da metade das compras do supermercado e não há lugar para mais nada. Começo a vasculhar as prateleiras para encontrar o que delas posso retirar para abrir espaço ao que acabou de chegar. Atrás de tudo, sempre bem lá no fundo, encontro potes com pequenos restos de feijão, berinjela, quiabo e vagem, que não quis jogar fora, mas nem sei há quanto tempo estão lá. Há também um litro de leite lacrado, mas com data vencida, embora eu só use leite em pó. Já devia ter me livrado disso tudo há meses. Parece mania de conservar coisas que o tempo tornou inservíveis, como aquele trem elétrico que me recusei a dar ao meu sobrinho há mais de vinte anos atrás, acalentando o sonho de um dia ver um filho meu brincar... Ler mais

Crônicas parisienses: “La Rue de la Gaîté”

em 10/jul/2012 em Crônicas por Dennys Távora | 2 comentários »
Crônicas parisienses: “La Rue de la Gaîté” Alegria! É em busca dessa agradável sensação que sonhos são construídos, planos são elaborados e realizados, estuda-se, trabalha-se e diverte-se. Há quem a experimente ao vê-la nos olhos dos outros. Há quem não seja tão generoso assim. Todos, porém, de alguma forma, vivem a buscá-la. Na primeira vez que visitei Paris, numa dessas adoráveis coincidências, posso dizer que me encontrei frente a frente com a alegria ou, pelo menos, com a rua que carrega esse nome. Quase em frente de onde estava hospedado, no bairro de Montparnasse, havia uma estação de Metrô. O nome dela me chamou a atenção: Gaîté, que em português significa alegria. Era um sentimento que, naquele momento, correspondia plenamente ao meu estado de espírito. Pareceu-me um bom presságio ter a... Ler mais

Crônicas parisienses: “Le Pont des Arts”

em 22/jun/2012 em Crônicas por Dennys Távora | 10 comentários »
Crônicas parisienses: "Le Pont des Arts" Não é a mais bela. Tampouco é a mais suntuosa. Longe disso! “Le Pont des Arts” é apenas mais uma dentre as trinta e sete pontes que cruzam o Rio Sena, em Paris. De estrutura metálica formada em arcos, presa a pilares de concreto, possui piso de madeira e serve de passagem para pedestres. É, na verdade, uma passarela, ligando o Museu do Louvre ao “Intitut de France”, sede das academias francesas. Na primeira vez que a vi, não gostei dela. Parecia-me rústica demais quando comparada a outras belas pontes que atravessam o Sena. Cheguei a evitá-la em todas as fotos que tirei, embora tenha me servido dela como mirante.  Preferia aquelas feitas de pedra e repletas de adornos, que me pareciam não só mais fortes como muito mais vistosas, belas e dignas de receberem evocações... Ler mais