O mais belo olhar

em 29/ago/2013 em Crônicas por Dennys Távora | 4 comentários »

 

por Dennys Távora

 

Ela é adoravelmente vesga.

Quando a conheci, acreditava ter sido atraído pelo brilho dos seus belos olhos verdes, mas não! Apaixonei-me pela sua vesguice.

Demorei um pouco para me dar conta disso, pois ela sabia disfarçá-la com arte. Não deixava de me olhar nos olhos, mas não o fazia de forma estática, direta e intimidadora, que ao perdurar pode incomodar ou provocar um pouco de tédio. Não! O seu rosto estava sempre em movimento, levemente inclinado e virado para o lado, expondo-me mais a sua face esquerda. Era um truque para realinhar os olhos.

Sem perceber, eu repetia os seus movimentos no afã de acompanhar e ler o seu olhar. Era um bailado sedutor que me hipnotizava.

Um dia, ao jantarmos juntos, percebi uma diferença. No ápice de algo que lhe contava, ela mantinha o seu olhar fixo no que imaginei ser alguma coisa atrás de mim. Perguntei-lhe o que olhava e a resposta veio rápida:

-Você! – Com ar de frustração, acrescentou: – Sabia que isso iria acontecer.

Desculpei-me prontamente, disse-lhe que não havia problema e lhe pedi que continuasse a me olhar daquele jeito. Naquele momento, gostei de descobrir que o seu olhar aparentemente perdido, na verdade, não desgrudava de mim.

Um olhar direto e reto é como uma flecha ou um raio. Pode até ferir, principalmente num instante de raiva.

O olhar dela, por sua vez, não me maltratava. Uma parte tocava de leve o meu rosto, como um afago, enquanto a outra podia até passar ao meu lado, mas, por pretender me alcançar, era como se fossem braços a me envolverem num abraço.

Não quis mais outro olhar!

 

Crônica escrita durante a oficina “Seduzir é desafiar – Aulas de escrita criativa sobre amor e sexo”, com o poeta e escritor Fabrício Carpinejar, realizada em janeiro de 2013 no b_arco Centro Cultural.

 

4 comentários para "O mais belo olhar"

  1. Marina disse:

    Você fez uma oficina com o Carpinejar, que máximo! Eu gosto muito das suas poesias, mas confesso que sua prosa tem me encantado bem mais!!! Parabéns!

    • Dennys Távora disse:

      Marina, a oficina com o Carpinejar foi uma experiência maravilhosa, que me fez crescer em confiança e me abriu vários horizontes. Durante muito tempo, imaginei-me escrevendo apenas em prosa. A poesia surgiu em mim meio por acaso, mas acho que contribuiu muito para a minha prosa evoluir. Fico feliz que tenha apreciado esta crônica. Agradeço o incentivo!

  2. Alan disse:

    Sinceramente não “era” curioso no que diz respeito, a entender, e buscar sobre poemas, mais gostei de suas palavras , parabéns.

    • Dennys Távora disse:

      Obrigado, Alan! Busco empregar uma linguagem simples como forma de expressar com maior pureza emoções e sentimentos. Fico feliz por saber que apreciou minhas singelas palavras.

Deixe um comentário